l_b3e5001a0f0429723796f1dc886bf05d

Sobre música

Se tem uma coisa que eu faço é me apegar à música. A artistas. Agora mesmo dei o play num disco do God is an Astronaut… um disco que eu ouço há anos. ANOS. Sei lá, é coisa de fã isso? Nunca parei pra me considerar fã de nada, desde que cresci da fase do Blink 182 (e acreditem, foi uma fase e tanto!).

Eu ouço os mesmos discos do God is na Astronaut, do Explosions in the Sky, do Akron/Family, da Joanna Newsom, do New Order… do Polara. São músicas que me são suficientes, me são familiares. Tá, acho que é coisa de fã mesmo isso.

Ouço discos de 2005 que me soam frescos e crocantes como se os estivesse descobrindo agora, mas que me abraçam e cuidam de mim, como um bom e velho amigo. Canto as letras junto e vou pra um lugar confortável. Me sinto em casa.

Não desapego. Não sei explicar, claro que desde sempre mesmo ouvindo esses mesmos discos, me atualizei em coisa nova, ouvi outras bandas, mas essas citadas e outras ocultas são aquelas me garantem um bom momento musical.

Numa época onde é tão importante estar atualizado e manjar muito do que está sendo lançado no mainstream, no indie-pop, no hispter-chic, no underground do metal capixaba… às vezes me sinto meio perdida, deslocada e surda-muda. Eu nunca sei do que vocês tão falando.

Quero me deitar na cama, me cobrir e ouvir aquele disco Inacabado do Polara, cantando junto de cabo à rabo, um rabo de galo ou o seu de cavalo, pra eu me comportar melhor. Eu tô velha pra isso?

Se eu fico triste, é a Joanna que canta pra mim, se eu estou melancólica, é a batida e as letras do New Order que estabelecem o clima ideal para o meu humor.

Interessantemente, bandas que eu fui fã declaradamente não fazem muito isso. Se ouço Blink 182 ou até mesmo Le Tigre, sou sim transportada para fases lindas, felizes, ricas da minha vida, mas o efeito é nostálgico e não tem o frescor do qual falo aqui.

Bom, é isso.

O Desafio Musical De 250 Dias.

Lá no facebook sempre rola uns joguinhos que sei lá, não sei direito para o que servem e provavelmente não sirvam pra nada mesmo, então nem me preocupo.

Há algum tempo eu vi que estava rolando um chamado “O desafio musical de 30 dias” e eu achei bacana, mas fiquei com preguiça. Faltou emoção, lol. Mas há pouco mais de 1 semana vi um joguinho de músicas realmente desafiado: o desafio musical de 250 dias. Basicamente, a cada dia você deve compartilhar 1 música seguindo a ordem que o desafio te dá e você não necessariamente é obrigado a postar todo santo dia. Então quando dá muito trabalho chegar numa música, você pode levar o tempo que precisar 🙂

Eu tou fazendo o desafio lá na página do blog no facebook e hoje postei a música do sexto dia:

6 – Uma música da sua banda preferida

5 – A música com um dos seus solos preferidos

4 – Uma música que você saiba a letra toda

3 – Uma música que te faça dançar

2 – Uma música que você ache engraçada

1 – Uma música que te lembre a sua infância

Se quiserem acompanhar é só curtir a página do blog aqui do lado (se ainda não curtiu) e pronto! Ainda faltam 244 dias ou 244 música e muita coisa pode acontecer, haha!

New Order: Crystal

Aproveitando o gancho deixado aqui mesmo há exatas duas semanas, agora temos New Order e Crystal.

Em 2001 eu tinha o que? 13, 14 anos? Enquanto eu embarcava no mundo do rock, uma banda roubou minha atenção com uma música, com um vídeo. Essa é a banda, este é o vídeo, esta é a música. Quando fui descobrir na internet que a banda em questão não era formada pelos jovens bonitos e descolados, eu achei tudo mais genial ainda. Gente de meia idade te provando por A + B que imagem é tudo.

Revendo (e eu revi mesmo, várias vezes inclusive) o vídeo do  Hadouken!, esse clipe do New Order me veio aos olhos: gente jovem, bonita, descolada, tocando seus instrumentos em luzes bacanas e sendo mais legais que você.

Curto a crítica, mas adoro o produto.