O processo pela House of Brazil.

Com a cabeça à mil comecei a considerar a possibilidade de trocar de agência e então mandei um email para a Karin da House Brazil. Eu expliquei toda a minha situação e a resposta dela, além de rápida, foi super positiva.

Quando eu estava pesquisando as agências a inscrição na House era de 500 euros, enquanto na HBN apenas 250. Pelo fato de o processo ser parecido e das meninas recomendarem ambas muito bem, o bolso falou mais alto e eu acabei optando pela HBN, sem falar do fato de que eu confio bastante na Nadja, a agente da agência que escolhi na época.

Com a “nova” legislação em vigor o valor da inscrição pela House (e todas as outras) é fixado em 34 euros e quem arca com os custos da passagem é a candidata a au pair. Na House, quando a candidata entrega o application, além de pagar os 34 euros, é pago também um depósito de 200 euros para a passagem. O bom é que há a parceria com uma agência de turismo, então quando formos comprar a passagem, compramos através dessa agência, o valor dos 200 euros é descontado do total e ainda é possível parcelar e diluir a conta.

Sobre o processo em si, o que posso contar é o seguinte:

Assim que demonstrei interesse, a Karin me enviou todos os documentos que precisariam ser preenchidos (à mão) e devolvidos. O primeiro documento da lista era justamente o Au Pair Check, exatamente pra au pair ter um controle dos documentos que está reunindo para enviar. Vou listá-los aqui e descrever um pouco cada um deles, pra ficar mais específico.

COMPLETED APPLICATION FORM – Bom, o famoso app! O app da house pode ser um pouquinho intimidador no começo, mas não se assuste! Ele deve ser preenchido em inglês em letra de forma, de preferência, e são nada menos que 10 páginas. Mas repito: não se assuste, muitas questões são de assinalar os casos aplicáveis e por isso mesmo ele é bem rápido de preencher. As perguntas são bem diretas e algumas demandam mais tempo e dedicação pra elaborar a resposta, mas não é nenhum bicho de sete cabeças, se você tem a resposta pra pergunta é só refletir um pouco sobre a melhor maneira de colocar aquilo no papel.

DEAR HOST FAMILY LETTER – A cartinha de apresentação é literalmente uma carta que você deve escrever para a futura host family. Não tem muito o que falar aqui, você tem que se apresentar, ser objetiva e ao mesmo tempo se expor bastante, depois vou fazer um post só sobre isso, dando algumas dicas do que usei para escrever a minha.

PASSPORT PICTURE (SMILING) – A passport picture na verdade não precisa ser uma foto 3×4 nem nada do tipo. O ideal, segundo a Karin é que seja uma foto de rosto onde você aparece sorrindo. Ou seja, escolha a sua foto mais simpática e vai confiante.

REFERENCES (2-3, at least 1 character and 2 childcare) – As referências são um diferencial. Eu enviei 2 referências de caráter e 2 de trabalho com crianças. A referência de caráter é teoricamente simples. A pessoa precisa escrever se conhece suas experiências com crianças, se você entende o que é o intercâmbio de au pair, se está preparada e se te recomenda para esse tipo de atividade. A referência de childcare é um pouco diferente. A pessoa responsável pela criança, ou pelas crianças, deve dizer por quanto tempo você trabalhou com elas, quais atividades você desenvolveu durante o período, quais talentos e habilidades ela viu em você e se te indicaria para função de au pair. Todas as referências devem ser preenchidas por pessoas diferentes, ou seja, sua referência de childcare não pode ser a sua referência de caráter e vice-versa.

PHOTO COLLAGE (at least 5-6 PICTURES) – Bom, aqui eu fui um pouco além. O que eu fiz na verdade foi enviar 4 foto colagens por temas (a House recomenda que você envie até 3 páginas de fotos, mas já explico porque foram 4): “Larissa Menon Rodrigues” tinha só fotos minhas e eu fui temática aqui também sem querer porque acabei colocando apenas fotos minhas em viagens; “Family and Friends” reunia fotos minhas com familiares e amigos; “Kids” trazia algumas fotos minhas com crianças, óbvio haha; e por último eu fiz uma colagem chamada “Sports Time”. Essa colagem consiste em fotos minhas andando de bicicleta, skate e várias fotos do rugby. Ela é um caso especial e foi feita porque como estou acima do peso, vocês sabem, eu e a Karin achamos que seria legal enviar um “testemunho visual” de que eu sou ativa sim senhor. Além disso a Maira me deu uma dica legal de colocar legenda com o ano nas fotos e agora eu repasso a dica.

1

3

2

4

DIPLOMA – É o último diploma que você recebeu. Se você tem nível superior incompleto, você envia o seu diploma do ensino médio e tal. Eu enviei o meu da Cásper normal, sem traduzir e a própria House traduz ele depois que já está com eles.

MEDICAL CHECK + MEDICAL FORM – O medical form é um questionário de duas partes, a primeira respondida pela candidata e a segunda pelo médico. É legal que você vá em um que te conhece há algum tempo, porque daí ele pode responder sem ficar de #mimimi às perguntas do questionário. O medical check é apenas um atestado de que você está apta a ser au pair, mas na verdade os dois são atestados sobre isso, mas o form é mais detalhado. Ambos devem ser entregues com carimbo e assinatura do médico. Pra nós, meninas, eu recomendo ir no ginecologista ou endocrinologista, mas se você tiver um clínico geral de confiança pode ser também, apesar de a House não especificar ou restringir a especialidade do médico.

SIGNED AU PAIR AGREEMENT – O au pair agreement é o contrato de au pair que você firma com a House. Nele estão todas as especificações do seu dever enquanto au pair com o programa e todas as condições para permanência no mesmo. É legal ler bem antes de assinar, pra você ter certeza de que, sim, é realmente um compromisso sério.

COPY OF PASSPORT (all pages) – O passaporte é usado no “application” para o visto que a família envia para o IND, ele vai com todos os documentos que a família precisa apresentar. Lembrando que o passaporte precisa ter uma validade de no mínimo 6 meses na data do embarque. Se o seu passaporte for vencer enquanto você estiver lá, eu recomendo que você clique aqui e leia direto no site do Itamaraty como proceder: http://roterda.itamaraty.gov.br/pt-br/passaportes.xml

POLICE CLEARANCE – O atestado de antecedentes criminais é tirado no site da polícia federal, fica pronto na hora e em formato PDF. O que eu entreguei para a House foi exatamente o que foi emitido no site, não precisei traduzi-lo. O site é esse aqui: http://www.dpf.gov.br/servicos/antecedentes-criminais/ e quando você clica para emitir pode aparecer que o certificado de segurança do site não é mais válido, ou alguma coisa do tipo, é só clicar em continuar mesmo assim e não tem problema.

COPY OF DRIVER´S LICENSE (IF APPLICABLE) – Se você tem carteira de motorista e pretende dirigir na Holanda, você deve enviar uma cópia dela. Lembrando que para dirigir na Holanda, você não precisa da licença internacional, pois a brasileira é aceita, porém, tanto uma quanto a outra são válidas por apenas 6 meses após sua entrada nos Países Baixos. Se você pretende continuar dirigindo depois desse período a host family é quem deve arcar com os custos da carta holandesa e os procedimentos você pode encontrar aqui: http://www.brasileirosnaholanda.com/guia/rijbewijs.htm

Depois que entreguei tudo isso recebi da Karin um invoice da House com o valor em reais (com o cambio do dia da emissão, tudo certinho) que deveria ser pago referente a inscrição de 34 euros + os 200 euros de depósito da passagem.

Por último ficou a entrevista com a Karin que foi feita por skype. Nós conversamos um pouco em português e então partimos para a parte em inglês. Ela serviu para que a Karin percebesse o meu inglês e também para que ela me explicasse mais sobre como o processo é conduzido lá na Holanda. Além disso ela fez algumas perguntas bem simples como se tenho tatuagens e piercings aparentes e se uso maquiagem, mas também perguntou sobre meus métodos com crianças, quais atividades gosto mais de realizar e afins. Não vou contar tudo pra não estragar. O papo foi super tranquilo e foi longo. A ligação no skype durou cerca de 1 hora e meia. Depois da conversa ela escreveria uma nova carta sobre mim que também seria enviada para a House o Orange, a agência Holandesa que cuidará de todo o processo, apesar de meu contato ainda ser a Karin.

O post ficou gigantesco e eu espero que tenha ajudado!

CphCph

O CphCph é formado por dois amigos fotógrafos que compartilham uma mesma paixão: a cidade de Copenhaguem, capital da Dinamarca.

Juntos eles retratam a cidade “não vista”, seus prédios, seus túneis, espaços abandonados, lugares secretos e sua vista noturna.

O site deles é esse aqui e dá pra curtir no facebook, mas a maioria das atualizações é em dinamarquês.

As bikes de Berlim.

Ultimamente tenho sentido uma certa nostalgia de Berlim.

Uma coisa é fato, ela é um dos meus lugares preferidos no mundo. Berlim é uma cidade absurdamente cosmopolita e urbana. E algo que eu acho incrível é como ela aceita bem as bicicletas. Sim, existe uma vantagem comum às grandes cidades europeias: Berlim é praticamente plana e isso facilita muito, mas não é só isso. Quem circula pela cidade, mesmo turistando, percebe o interesse que há, vindo de todos os envolvidos, em se investir em meios de transporte alternativos ao carro. Berlim tem um lindo sistema de transporte sobre trilhos com o s-bahn e o u-bahn, as linhas de ônibus são práticas e cobre todos os cantinhos da cidade e ainda do lado leste é possível pegar o tram. Com tanta gente nos meios transportes coletivos, sobra espaço pra quem quiser pedalar, e ainda, pelo o que me lembro, é possível levar sua bicicleta com bastante facilidade no s-bahn e no u-bahn (não me lembro muito como funcionava no restante, mas ficou forte na memória desde crianças até idosos com suas magrelas dentro dos trens).

Estacionadas em frente ao Mauerpark

Estacionadas dentro do Mauerpark

Em frente ao Checkpoint Charlie

Na Spreeweg, pertinho da Coluna da Vitória.

Entre amigos

Sinalização do lado de fora de um u-bahn

Sinalização dento de um vagão do u-bahn

Em frente ao Potsdamer Platz

Na Monbijoustrasse

Na Friedrichstrasse

Por todos os lados no Mauerpark

Na saída do Mauerpark

Elas estão em todos os lugares. ❤

A weedy.

Resolvi escrever sobre a mala sem alça que divide a cama comigo.

Quer dizer, resolvi escrever sobre minha gata, a Weedy.

É estranho de pensar que estou com ela há tanto tempo. Em janeiro ela completou 7 anos, se não me engano. Ela está comigo desde o começo de 2005 e eu resolvi que ela nasceu dia 21 de janeiro daquele ano, porque quando ela chegou aqui ela tinha cerca de 1 mês.

É uma pena que não tenho muitas fotos dela novinha, mas garanto que ela era uma fofura sem tamanho! Ela chegou no momento exato, e eu digo chegou porque ela apareceu pouco mais de 3 meses depois que minha primeira gata, a Mú, havia sido morta por pessoas más. Enfim! Numa tarde tranquila tocaram minha campainha para avisar que havia um filhotinho de gato debaixo do carro estacionado aqui na garagem de casa. Desde então somos melhores amigas!

Mentira!

A weedy cresceu, castrou, fez xixi em mim dopada, engordou e nunca gostou de colo. Isso não é tão ruim pra mim, porque também não sou muito pegajosa, mas acontece que eu não resisto à sua gordice e às vezes acabo encarnando a Felicia e daí já era. Gritos, arranhões e muito drama – da parte dela, é claro, eu já estou acostumada às unhadas.

O que eu acho mais fofo nela, no entanto é o jeitinho como ela fica entendiada facilmente, e também como ela tem pequenos ataques de loucura e quica no sofá. Acho que todo mundo que tem gatos pensa assim, mas a gorducha é apaixonante. Não importa se estou no quarto dos meus pais, na sala ou no meu quarto, passa alguns minutos e lá está ela, parada olhando pra mim. E se eu ignorá-la (ou fingir ignorá-la) o suficiente ela vem, e deita do meu lado.

Acontece que se você tentar ativamente acariciá-la ou falar com ela, ela ou vai embora, ou grita com você. É preciso respeitar o espaço dela, para que ela se sinta confortável para uma troca gostosa de carinho. nhonho!

E eu não preciso de festa, nem de lambidas malucas, só a companhia dela ou então o peso dela nos meus pés enquanto durmo, só isso já me faz muito bem.

Desde que a Weedy chegou, vários gatos já passaram por aqui. O Bartolomeu, a Milka, os quatro filhotes da Milka… e ela continua aqui, firme e forte. Ela ainda está aqui, gordinha, mal humorada e companheira.

Um beijo pra você Weedy, você é muito fofa!

Posso compartilhar só mais algumas fotos dela? Posso, ok, obrigada!

Meus pais, os incríveis.

Não exatamente os meus pais, na verdade… eu acho que não tenho foto do Seu Luis Carlos e da Dona Margarete, mas tem um monte de gente por aí que acha que seus pais foram incríveis.

No myparentswereawesome todo mundo pode colocar uma fotinho do papai e da mamãe jovens e descolados. Aparentemente, tudo o que seus pais precisam para serem awesome é de uma fotografia vintage e um filho que saiba usar o scanner.

Vivian and Rick Submitted by Anjelica 

Pat and Debi Submitted by Bree

Margie and Aaron Submitted by Morgan

Mas nem sempre a fórmula funciona…

Carl and Marge Submitted by Jessica

Canon 7D

Já conhece a Canon 7D?

Basicamente ela faz imagens de 5184 x 3456 pixeis com uma sensibilidade de até 12 800 ISO, sem falar no ecrã de quase 8cm de alta resolução com luminosidade regulável!

Ela também faz vídeos na resolução de 1920 x 1080 pixeis, e tem entrada para microfone externo, pra dar uma melhorada na captação.

Olha só o que ela faz:

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Adiciona na wishlist, faz favor.