Top 3 clipes: Arcade Fire

Tou nessa vibe de reviver algumas bandas que já gostei muito de ouvir… algumas eu sempre ouço pra matar a saudade, mas outras eu revivi pra valer, como o Arcade Fire… que eu não ouvia fazia um bom tempo e mal acompanhei quando eles lançaram o The Suburbs. Eu até acompanhei algumas críticas, dei uma ouvida e deixei pra lá, porque tava em oooooutra vibe.

Agora a vibe é ouvir Arcade Fire… principalmente porque outro dia eu estava com o VH1 ligado e começou a tocar a música homônima ao disco e eu parei pra assistir ao clipe. Eita nossa, que angústia!

#3, pela angústia latente na garganta: The Suburbs

#2, pelas referências (não tão) sutis aos anos 80, pela dança e pela edição ritmada: Sprawl II (Mountains Beyond Mountains)

#1, pelo ano de 2005 quando eu vi a banda ao vivo no Tim Festival e chorei por dentro, toda encantada: Rebellion

Top 3 clipes com fantasia de animais.

Parece que a moda agora (uma onda meio hipster que já cruzou a linha e virou mainstream) é fantasiar as pessoas de animais e colocá-las nos clipes. Só esse ano temos 2 exemplos que foram/vão/estão sendo amplamente divulgados e explorados, afinal Coldplay e Taylor Swift tão com tudo na onda pop. Mas o clipe mais fenomenal com alguém fantasiado de animal é o do MAU onde a máxima “gostas do coelhinho?” sempre será eterna pra mim em meu coração.

Pela fofura e pela atualidade #3: Taylor Swift – We Are Never Ever Getting Back Together

Pela fotografia linda #2: Coldplay – Paradise

Pela piada, pelo tempo #1: ManAndUnable – Prick (I am)

E eu tenho certeza que tem muito mais clipes que eu não estou conseguindo pensar agora. Alguém pode me ajudar também, eu acho que tem um clipe onde alguém está vestido de rato e faz “maldades”? Eu acho que é de uma banda tipo Arctic Monkeys ou Kaizer Chiefs, mas eu realmente não entendo nada delas hahaha. Se você souber, coloca aqui nos comentários e se você lembrar de algum outro, compartilha com os amigos!

Bônus

Pelo clássico: BloodHound Gang – The Bad Touch

Pela vibe completamente diferente: Dario G – Sunchyme

Donnie Darko + música.

Que Donnie Darko é um filme que todo mundo precisa ver, a gente já sabe né?

Com o tempo que tenho tido resolvi revê-lo e lembrei do motivo que gosto tanto dele. Os filme inteiro me deixa um gosto bom na boca quando acaba, é bastante interessante. A história, os detalhes, a trilha, os clipes…

olho com caveira do m.c. escher que está na parede do quarto do Donnie

Um beijo.

Notícia velha.

Daí que o Dave Grohl foi eleito o novo gênio da música pelo NME, ok. Isso foi semana passada.

Daí que ele agradeceu dizendo que eles estavam dando o prêmio a um baterista e depois o ofereceu ao falecido lá, ao Kurt Cobain.

Tá, tudo bem, foi Kurt e seu gênio que fez o mundo se virar praquele cantinho chuvoso dos EUA e dar toda a atenção (e o título de salvação do rock) pro Nirvana há o que? Cerca de 20 anos?

Fato é que nós, em geral, os cerumanos, potencializamos nos outros o nosso desejo de viver plenamente, dores e alegrias e concluímos que aqueles, que alcançam a grandeza pra daí cair magistralmente e morrer de alguma forma dolorosa ou bem trágica… estes serão os nossos heróis, estes são os nossos ídolos, eles são os gênios.

Não devemos nos culpar, afinal, isso é feito desde sempre. A literatura tá cheia de exemplos, a música clássica também e o rock’n’roll, esse nem se fala. Em menos de um século já gerou heróis para todos os gostos.

Eu, ao contrário de muitos, gosto de apreciar o conjunto da obra. E eu acho que é aí que diferenciamos Dave Grohl de Kurt Cobain. Dave não deu simplesmente a sorte de não ter morrido tragicamente aos 27 anos, ele passou de baterista a frontman  com uma sutilidade e maestria que, olha, não sei você, mas eu admiro.

E se você ainda quer mimimizar, pega uma cadeira e acompanha comigo:

 

breve update: youtube me pegou por trás agora, mas eu sei que vocês clicarão nos videos pra ver no youtube e concordarem comigo ˆˆ

Não consigo perdoar

Gente, perdão, mas preciso comentar que não é possivel! Não só as músicas da Rihanna tão ficando cada vez pior, como também os vídeos. (e pra dizer a verdade essa afirmação pode vir ao contrário que dá na mesma: não só os vídeos estão ficando cada vez pior, como também as músicas – e vice-versa).

Não vou, claro, fazer um acompanhamento cronológico da “evolução” dela, mas chorem comigo:

Sim, doeu aqui também. Qual é exatamente a intenção desse visual? Tinha que ser um erro tão grotesco? E então só me resta uma pergunta: Qual era exatamente o problema aqui?

Não deixou saudades, e não que a música ou o clipe eram super bons também, mas pelo menos ainda dava pra classificá-la como cerumano. Só desde o guarda-chuva que sou tomada por um sentimento misto de vergonha alheia e constrangimento próprio sempre que a vejo/ouço.

obs: também não consigo perdoar o cabelo, mas ele é tão ridiculo que não entro nem no mérito.

Mogwai: Batcat

Batcat, single tirado do último disco (e pra mim, sensacional) da banda escocesa de post-rock, Mogwai, The Hawk Is Hawking.

Nele, acompanhamos uma garota camponesa que começa a ser perseguida por outros dois garotos mascarados, aparentemente interessados em algo que ela carrega consigo. A perseguição passa por campos, florestas e adentra numa caverna. Dentro dela, os garotos acabam encontrando por algo que não esperavam.

Esse clipe já tem mais de um ano, na verdade, mas como o roch é poderosíssimo (lolol) achei justo colocar aqui agora, aproveitando que estou voltando à minha programação normal.

Mas então, além desse disco ter músicas com alguns dos títulos mais geniais que eu já vi (I’m Jim Morrison, I’m dead; I Love You, I’m Going to Blow Up Your School;The Sun Smells Too Loud), as próprias músicas são ótimas e valem cada play que você der.

A direção de Batcat é do Dominic Hailstone, um ingles doido que começou fazendo maquiagem e já trabalhou com diretores como Danny Boyle, Chris Columbus e Chris Cunningham. Foi ele quem dirigiu também o Holy Tears do ISIS (que também merece um post aqui).

Destaque também pra fotografia e a arte, que no caso do Dominic são sempre detalhes à parte.