[vídeo] Travel Self(ies)

Fazia algum tempo já que eu queria fazer uma vídeo colagem com todas as selfies que tirei pelas minhas andanças, viajando sozinha ou acompanhada. E pra ser sincera, nunca tinha feito por pura preguiça…

Até que hoje sentei em frente ao computador e em pouco tempo o vídeo estava pronto. O que demorou mesmo foi encontrar as fotos em todas as milhares de pastas de todas as viagens.

Assiste pra ver como ficou!

Nas fotos, aparecem comigo: Fernanda, Lia, Jana, Ale, Ed, Paula, Isa, Helda, Thiago, Guilherme, Alana, Júlia, Monique, Katha, Vi, Luana, Cristiano, Dani, Clayton e, claro, o Augusto ❤

E quer saber onde as fotos foram tiradas?

Lisboa – 2009
Madri – 2009
Barcelona – 2011
Paris – 2009 | 2011
Versailles – 2009 | 2011
EuroDisney – 2011
Amsterdam – 2009 | 2013 | 2014
Zaanse Schans – 2009
Berlim – 2009 | 2011
Frankfurt – 2009
Roma – 2009
Buenos Aires – 2013
Londres – 2013
Glasgow – 2013
Edimburgo – 2013
Colônia – 2013
Munique – 2013
Viena – 2013
Budapeste – 2013 | 2014
Praga – 2014
Utrecht – 2013 | 2014
Zaandam – 2014
Rio de Janeiro – 2014
Brasília – Vários anos, nem sei hahaha.

E aí, o que acharam?

Buenos (y fríos) Aires

Fiquei de voltar pra contar sobre as temperatura que encontrei em Buenos Aires, além da experiência com a comida e os lugares visitados…

Sobre os lugares visitados, serei breve e visual:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Se você reparou, eu tou de casaco em todas as fotos, menos nas primeiras, que são exatamente do primeiro dia, onde as temperaturas estavam adequadas ao mês em questão. A previsão do tempo prometia temperaturas amenas durante a manhã e a noite e temperaturas dignas de verão durante o dia. Para garantir, resolvi levar 3 casaquinhos de meia estação, achando que só ia ocupar espaço na mala. A realidade foi completamente outra. Nosso primeiro dia na rua foi um dia quente, como o previsto, mas mesmo nesse dia, durante a manhã parecia que haviam deixado a porta da geladeira aberta… nos dias seguintes o que aconteceu é que parecia que tinham levado a cidade pra dentro do freezer. Eventualmente, durante o dia, as temperaturas se elevavam e se você estava caminhando no sol até dava pra abandonar um pouco o(s) casaco(s), mas daí vinha um vento sei lá de onde, geladíssimo e eu me arrependia na hora de ter tirado a uma ou duas blusas que tava usando. A temperatura máxima que rolou ficou por volta dos 20 graus e durante o dia estava sempre por volta dos 16. O resultado foi um visual mendigo, em várias camadas e mesmo assim passamos frio, mas tudo bem, pelo menos não tava nublado.

Sobre a comida, ela também esteve fria. Quer dizer, teve um dia que ela esteve literalmente fria. Tipo gelada, tipo o cara tirar a carne da churrasqueira na minha frente, eu ir até a mesa,, sentar, cortar a carne, colocar na boca e ela estar fria.

Comida bonita e fria.

Comida bonita e fria.

No resto das nossas refeições encaramos purê com gosto de ferro; pizza gostosa, mas mal servida; mc donalds sem queijo, burger king idem; empanadas delicia; tartas de abobrinha e nenhum jamon ou queijo; e sei lá… já esqueci hahahaha. Basicamente não tive uma boa semana gastronômica.

Apesar do frio e da má experiência com as comidas, a soma da viagem foi positivíssima. Adorei e voltaria. E recomendo: vão, conheçam, experimentem e compartilhem.

Já voltei de Buenos Aires

Daí que eu fui, passei 6 dias em Buenos Aires e voltei. O resultado? Gostei! Achei a cidade um charme, uma belezinha, um lugarzinho muito legal! E a vontade que ficou depois desse tempo foi de: quero voltar.

IMG_2778

Escolhemos o hostel Che Lagarto à partir de indicações de amigos e colegas lá no facebook. A localização parecia boa (e era mesmo), as instalações justas (e eram mesmo) e o preço tava de bom tamanho também.  Sobre o hostel o que eu posso dizer é que o recomendo e me hospedaria lá novamente, sim senhor. O hostel fica em San Telmo, a 2 quarteirões da Av. 9 de Julio, 1 quarteirão da Av. Belgrano e nem 10 minutos a pé da Casa Rosada, Plaza de Mayo, Calle Florida… e nem 15 do Puerto Madero ou do Obelisco. Tem ônibus pra todos os cantos e 2 linhas de Subte (metrô) na porta. Uma caminhada saindo do hostel até o começo da Recoleta dava uns 40 minutos no máximo para uma pessoa que caminha feito gente normal e tem pernas do tamanho dentro da média brasileira.

O Subte é uma loucura… mal sinalizado e sujo tem trens de todas as qualidades e estações também, mas a maioria está mal. O preço compensa e o fato de ser mais rápido do que andar a pé e de ônibus pode ser atrativo, mas eu só fiz 2 viagens naquelas linhas e vi uma menina fazendo xixi no ralo de uma plataforma de embarque. Entre ver isso e ver a arquitetura da cidade, prefiro a segunda opção. Se você tem tempo na cidade, vá a pé ou pegue um colectivo, mas se lembre que é preciso ter a tarjeta (15 pesos e você pode comprar em vários lugares) ou ter moedas para andar no ônibus… e moedas é algo que está em falta na capital da Argentina.

O transito de lá é outra loucura. A Av. 9 de Julio está em obras, estão construindo o MetroBus, um corredor de ônibus que promete deixar o transporte coletivo mais rápido e atrativo na cidade, além de diminuir o transito. Mas o transito que vimos na 9 de Julio não se compara ao que vimos em outras vias menores. Nas calles o que víamos eram colectivos, ciclistas, pedestres, carros de passeio, taxis e caminhões disputando o mesmo espaço em ruas de mão única, desviando de caçambas de coleta seletiva e carros estacionados. Eu não entendi muito bem como funciona a restrição no tráfego de caminhões por lá, mas parece que não tem. Assim como parece que é possível estacionar onde quiser. Se pode ou não eu não sei, mas que todo mundo faz livremente, faz.

IMG_3120

A cidade é linda. Olhar pra cima e para os prédios é necessário e indispensável. É de invejar, ainda mais morando em São Paulo, o poder de preservação daquela cidade. De todos os lugares na Europa que eu visitei e de todas as vezes eu pensei “poxa, o centro de São Paulo podia estar bonitinho assim, bem cuidado assim…”, ficou confirmado esse desejo. São Paulo poderia ter preservado pelo menos o centro histórico com mais carinho. Enquanto alguns dos nossos prédios do centro estão lindinhos, outros estão tão mal cuidados… Em Buenos Aires vi um equilíbrio maior entre o que está bem cuidado e o que não está… digo, o que não está bem cuidado não está tão abandonado como vemos por aqui. E lá vi vários lambe-lambes e cartazes, faixas atacando e repudiando a especulação imobiliária.

Não tirei tantas fotos como gostaria, não vou negar que até mesmo por não se ver pessoas tirando fotos à doidado ou carregando suas câmeras tranquilamente, eu acabei deixando a minha guardada na maior parte do tempo… só a sacando quando estava em pontos muito turísticos ou fechados.

Depois eu volto pra contar onde fui e comentar sobre o frio e minha experiência com a comida de lá.

Estou indo até Buenos Aires

Haja!

A última viagem que fiz foi em 2011 quando passei um tempo em Berlim com a Raquel (com participações especiais do Rafael no zoo e na Fernsehturm) e aproveitei e passei por Paris e Barcelona com a e a Lia, além das participações especiais da Jana na cidade luz e da Ale e da Mari na capital catalã. Desde então: só planos.

Se viajar é preciso, pra mim, planejar é fundamental. E com a lista de desejos só crescendo eis que me deparo com um destino fora dos planos… Buenos Aires!

Olha, nunca vi nem comi, eu só ouvi falar da tal capital argentina, mas a Dani pegou as férias do trabalho e aproveitando que não estou ocupada, resolvemos dar um pulinho lá. Como eu nunca tinha pensado de ir pra lá por conta própria, planejar o passeio foi super do zero.  Quer dizer, pelo visto eu sabia mais do que eu imaginava, porque o que eu pensava de primeira era: Casa Rosada, Avenida 9 de Julio com o obelisco, La Bombonera e só… mas colocando a cabeça pra funcionar, eu sei de muitos outros lugares que quero visitar!

E a preparação pra viagem está sendo uma delícia. Passagem e hostel foram fechados nem lembro mais quando hahaha e daí a gente só precisou focar em quando vai ver a estátua da Mafalda e em qual dia vai no zoológico da cidade, porque né? O que é turismo sem visita ao zoológico da cidade? Eu adoro! Serão 6 dias por lá e ao mesmo tempo que parece que vai dar tempo de ver tudo, parece que é super pouco… por mais que eu com a minha experiência ache que vai dar tempo sim. Ê ansiedade!

Quando voltar eu compartilho o saldo, mas já estou sentindo que vai ser delicínha 🙂 E se alguém tiver alguma dica boa, pode mandar que eu se já não estiver nos planos, tentarei encaixar. Quanto mais, melhor!