Mais um ano de Gustinho :)

Eta nossa, Augusto Cesar! É hoje que você comemora seus 27 anos e eu não poderia deixar de te dizer tantas coisas que eu sinto/quero pra você todos os dias.

Sabia que eu não acredito que você já está com 27 anos? Acho engraçado, estranho de verdade. Te conheci outro dia ainda e você era só um mocinho! Quando nos encontramos pela primeira vez era fevereiro de 2007 e eu acho que é isso mesmo… eu ia fazer 20 então você tava quase completando 21. E hoje você tá completando 27 anos! (Nessa foto você estava quaaaase com 24.)

E nos últimos quase 4 anos posso ter você em minha vida sob o título de sua namorada e me sinto toda orgulhosa por isso, quase como uma primeira-dama de algo intimo, só nosso.

Você é um homem maravilhoso, deixou de ser mocinho (já quase não o era) e se tornou um homem que me faz querer sempre ser melhor pra você; melhorar o que posso, corrigir algumas falhas e continuar sendo alguém que você queira por perto, porque não consigo imaginar minha vida a pessoa que você é. Você é tão presente, tão cuidadoso, carinhoso, inteligente e perspicaz (a lista continua, te conto depois, não quero que os outros pensem que estou puxando sardinha pro seu lado).

Eu sei que esses posts são anuais, mas eu sei também que você sabe (já deveria tar sabendo, né?) que são todos os dias em eu te desejo tanta felicidade e quero muito sempre colaborar para que ela se torne real. Quero que você tenha satisfação nessa vida e se possível, te ajudar a obtê-la com sucesso.

Feliz aniversário, Augusto! Cé meu Gustinho, cé meu amorzinho, cé meu outros apelidos breguinhas e eu adoraria estar te enchendo de beijinhos hoje e te mimando como gosto tanto de fazer. Hoje não foi possível, mas estamos trabalhando nisso :). Em breve, te prepara, estarei te abraçando muito forte.

Te amo!

Brasília, mais uma vez.

Quando embarquei para Brasília no dia 05 de setembro, aquela seria a última vez que eu veria o namorado antes da minha viagem para a Holanda. Dada a reviravolta, provavelmente terei outra oportunidade de ver o Augusto novamente.

Eu até levei minha câmera, mas por algum motivo (vou culpar o calor e a baixa umidade) não tirei muitas fotos. Nós praticamente só saímos durante a noite, quando a temperatura estava um pouco mais agradável e eu conseguia exercitar a minha existência.

É sempre bom demais ficar com o Augusto e, pra mim, o mais gostoso é quando fazemos coisinhas bobas, do dia a dia mesmo. Pra mim, um dos pontos altos foi quando demos banho na Sofia. Foi o primeiro banho caseiro da coitada, mas ela até que se saiu muito bem, se comportou como qualquer gato equilibrado se comportaria.

No sábado nós aproveitamos a cena rock brasiliense e fomos ao Porão do Rock. O Augusto tava preocupado que eu fosse achar a galera de lá feia, mas o público não foi diferente de qualquer evento do gênero em terras paulistanas. Como não fomos só pelo sightseeing, aproveitamos para vermos sentadinhos o Sepultura tocando músicas dos discos mais antigos da banda como Beneath the Remais, Arise, Chaos A.D e Roots. Eu não sou fã, mas tenho que reconhecer que foi bem difícil manter os pés paradinhos enquanto o show rolava.

O Augusto me contou que quando o PDR era de graça o evento lotava, tipo, muito. Mas esse ano pagamos 15 reais na entrada e eu me surpreendi ao ver que tinha bastante espaço para circular e curtir os shows. Fazia tempo que eu não gostava tanto de um festival hahaha. Foi lindo ir para a frente do palco pouco antes do show do Kyuss Lives começar e poder chegar lá na frente sem nenhum problema. E mais lindo ainda foi que não atrasou quase nada.

Ano passado vi o Kyuss Lives num Carioca Club relativamente cheio, mas extremamente confortável e esse ano também pude aproveitar o show ao máximo, tirando um filho da puta na área vip que não curtiu o show, conversou o tempo todo e mesmo assim conseguiu ficar parado exatamente entre o John Garcia e eu, que estava na grade:

O show foi tão bom que senti dor no pescoço por 2 dias hahaha

Para comparação e apreciação, dois vídeos dos dois shows do Kyuss Lives:

Novembro 2011

Setembro 2012

E como não encontrei nenhum vídeo do Kyuss no PDR numa qualidade bacana, fica aqui o show completo deles no PinkPop Festival desse ano:

Amor e preguiça em Brasília

Oi gente, tudo bom? Ah, comigo está tudo bem também, obrigada por se interessarem.

No começo de maio fui pra Brasília passar o feriado com o Augusto e quatro dias sempre é tempo pouco demais. Além de curtirmos uma preguicinha delicia típica de feriado, ele também me levou ao lago, à UNB e ao Itamaraty.

Eu esqueci de tirar fotos, mas achei a UNB super parecida com a USP e tive o mesmo sentimento quando estive na UFES. Arvores, grama boa pra dormir na sombra e prédios antigos. Não sei explicar, mas gosto do clima. Fomos até lá porque o Augusto tinha aula de física e eu fui junto. Apesar de ter passado parte do tempo jogando Freecell, gostei da aula mesmo não tendo muito background no tema de fluídos e trabalho, sei lá. Foi bem legal. De lá fomos para o lago e a vista era linda, o céu estava lindo e o fim de tarde foi bem legal.

Brasília é uma cidade bonita e aos poucos estou descobrindo suas belezas. Boa cidade.

Ah! E ainda tiramos uma foto de família com uma das nossas filhotas hahaha.

Amo você gustinho, vem logo. :~

Tenho tido o privilégio de viver dias incríveis ao lado da pessoa que amo. Na verdade, tenho tido o privilégio de vir tendo dias incríveis já há algum tempo.

Quando o Augusto está por perto, tudo fica melhor. É algo que eu sei que todo mundo sente – ou deveria sentir – quando está perto de quem te faz bem, e ele definitivamente me faz muito bem!

Namorar com alguém que na maior parte do tempo está tão longe não é tarefa fácil. Se no começo tinhamos que lidar com o mundo, agora, despois de quase 31 meses juntos, descobrimos que temos que lidar conosco mesmo.

Distancia, tempo, mal entendidos… tudo isso colaboram para que as coisas se compliquem, mas só ele e eu podemos trabalhar pra manter as coisas no eixo, o trem no trilho. A intenção é sempre a melhor, em tudo o que fazemos e quando o plano não é executado da maneira que desejamos, quem tem que correr atrás somos nós.

Sempre me considerei sortuda porque mesmo antes desses 31 meses de namoro, já me sentia como alguém que fazia parte da vida dele, da maneira que se faz diferença. E mais: sempre me considerei sortuda porque ele, desde que o conheci, sempre faz uma diferença enorme na minha vida, e o efeito sempre foi positivo.

Meus sentimentos estão por toda parte quando estou com ele, mas ao mesmo tempo me sinto completamente calma. Sim, ainda sofro momentos de extrema angustia e momentos de enorme ansiedade, sempre que ele se vai, e sempre que ele está de volta. Essas coisas só mudarão quando finalmente estivermos mais perto um do outro.

Enquanto na maioria do tempo estamos separados por 1000 quilometros, e apesar de na maioria do tempo minha mente e meu coração estarem sempre com ele, hoje é diferente. Hoje o tenho aqui, bem pertinho, a ponto de eu poder sentir seu cheiro, de eu poder alcançá-lo com as mãos, a ponto de podermos trocar olhares.

E hoje eu o desejo felicidade. Hoje todos os beijos serão diferentes porque hoje ele comemora seus 26 anos. E eu agradeço por ter podido fazer parte dos últimos 5 e pouquinho.

Te amo,