De volta à programação com uma pausa para uma novidade:

Bom, final de agosto e acho que é hora de pôr a conversa em dia. Eu prometo que vou contar tudo sobre o fim da Holanda e tal. (ME COBREM!) Mas antes tenho novidades mais quentes pra compartilhar :D. Quando eu voltei da Holanda eu estava morrendo de saudades do meu namorado, o Augusto, vocês … Continue lendo De volta à programação com uma pausa para uma novidade:

Anúncios

Tenho tido o privilégio de viver dias incríveis ao lado da pessoa que amo. Na verdade, tenho tido o privilégio de vir tendo dias incríveis já há algum tempo. Quando o Augusto está por perto, tudo fica melhor. É algo que eu sei que todo mundo sente - ou deveria sentir - quando está perto de … Continue lendo

Um par de sapatos.

Een paar schoenen, 1886 Quando em Amsterdam, pude e fui visitar o Museu Van Gogh. Perdi horas naquele lugar. Pederia mais e mais horas, perderei mais e mais horas. As naturezas-mortas de Van Gogh prendem a atenção e este quadro é simplesmente hipnotizante.

A. C. R. N.

Pensei, juro, em uma infinidade de músicas que poderiam embalar esse post, mas até o momento em que escrevo, não encontrei nenhuma que fosse ou publicável, ou que representasse tudo o que precisa representar. Por enquanto esse post não é embalado e também não é como esse texto precisasse ser embalado numa canção que não … Continue lendo A. C. R. N.

Les Chansons d’Amour e o google earth; ou como eu amo o google earth.

Há algum tempo terminei de assistir a trilogia do amor de Chistopher Honoré, composta por Dans Paris, Les Chansons d'Amour e La Belle Personne. Não é bem uma trilogia propriamente dita, mas como nos três filmes o diretor (e roteirista) procura explorar diferentes formas do amor, é então a trilogia do amor. Posto isso, não … Continue lendo Les Chansons d’Amour e o google earth; ou como eu amo o google earth.