De volta à programação com uma pausa para uma novidade:

Bom, final de agosto e acho que é hora de pôr a conversa em dia.

Eu prometo que vou contar tudo sobre o fim da Holanda e tal. (ME COBREM!) Mas antes tenho novidades mais quentes pra compartilhar :D.

Quando eu voltei da Holanda eu estava morrendo de saudades do meu namorado, o Augusto, vocês já conhecem… e no dia que eu cheguei em São Paulo, ele também chegou pra um bate-volta de boas-vindas! Logo depois ele veio melhor programado e como de costume passou as férias comigo. Fomos pro Rio, ficamos de preguicinha em SP. Aquela coisa gostosa. Logo depois, foi a minha vez de passar algum tempo com ele em Brasília.

Sabe o que é? A volta da Holanda, por mais que tenha sido pensada, decidida, digerida e tudo o mais, ainda assim foi muito rápida, e eu pude me dar o tempo que precisei pra “me recuperar”. Eu acho, conversando com outras ex-au pairs, que essa é uma sensação que todas sentimos, a volta é sempre “abrupta”. Mas eu também acho que quando você termina o seu ano, você tem um processo de assimilação um pouco diferente, aquela coisa de dever cumprido, meta batida, vida que segue. Muitas meninas voltam da Holanda e já estão prontas para partir pra outra, mesmo tendo passado os últimos dias lá nos Países Baixos rezando pras horas passarem mais lentamente e elas terem mais tempo por lá.

Estou falando tudo isso porque o meu tempo de assimilação do meu retorno foi maior do que de costume, mas também isso me possibilitou um tempo maior com o Augusto.

Eu sempre pensei mais ou menos que quando eu voltasse do intercâmbio, a gente, o Augusto e eu, iria noivar, marcar a data do casamento pra mais ou menos um ano após a minha volta e então iriamos finalmente juntar as gatas e dividir o mesmo teto. E foi mais ou menos isso o que aconteceu. A gente conversou e decidimos nos casar após ele se formar, em Agosto de 2015.

A questão foi que todo esse tempo junto logo após todo aquele tempo separado fez uma ficha cair aqui. O que esperar? O tempo passar? Basicamente era isso o que esperaríamos. Quando a gente para pra pensar, sempre existe um “talvez em outra oportunidade seja melhor”, “talvez quando tal coisa acontecer será melhor”… enfim. A vida sempre vai ter atribulações, a gente sempre vai ter pouco tempo, vai querer ter mais dinheiro. A gente passaria por apertos e ‘aventuras’ com ele na faculdade ou não e foi por isso é que a gente mudou os planos super rápido de novo.

Resolvemos antecipar para este ano e em abril começamos a nos programar. Em maio vim à Brasília para darmos entrada no processo de habilitação para casamento e no final de Julho ele, a família e alguns amigos dele foram para São Paulo pro nosso casamento pequeno e aconchegante.

A gente programou e organizou tudo em cerca de 3 meses e mesmo assim eu não vejo como poderia ter saído melhor. Talvez sim, com um ano e meio de janela para organizar tudo tivesse sido tão bom quanto. Mas pra mim do jeito que foi, foi perfeito. Teve chá de lingerie, teve chá de cozinha, teve a cerimônia que eu sempre quis! Só rostos de pessoas muito queridas num almoço com comida muito boa <3.

Agora estou aqui, em Brasília. Essa é a novidade! Um mês de casada, com o Augusto pertinho o tempo todo, com as gatas dormindo nos nossos pés e uma vida nova inteira pela frente. 🙂

Mais um ano de Gustinho :)

Eta nossa, Augusto Cesar! É hoje que você comemora seus 27 anos e eu não poderia deixar de te dizer tantas coisas que eu sinto/quero pra você todos os dias.

Sabia que eu não acredito que você já está com 27 anos? Acho engraçado, estranho de verdade. Te conheci outro dia ainda e você era só um mocinho! Quando nos encontramos pela primeira vez era fevereiro de 2007 e eu acho que é isso mesmo… eu ia fazer 20 então você tava quase completando 21. E hoje você tá completando 27 anos! (Nessa foto você estava quaaaase com 24.)

E nos últimos quase 4 anos posso ter você em minha vida sob o título de sua namorada e me sinto toda orgulhosa por isso, quase como uma primeira-dama de algo intimo, só nosso.

Você é um homem maravilhoso, deixou de ser mocinho (já quase não o era) e se tornou um homem que me faz querer sempre ser melhor pra você; melhorar o que posso, corrigir algumas falhas e continuar sendo alguém que você queira por perto, porque não consigo imaginar minha vida a pessoa que você é. Você é tão presente, tão cuidadoso, carinhoso, inteligente e perspicaz (a lista continua, te conto depois, não quero que os outros pensem que estou puxando sardinha pro seu lado).

Eu sei que esses posts são anuais, mas eu sei também que você sabe (já deveria tar sabendo, né?) que são todos os dias em eu te desejo tanta felicidade e quero muito sempre colaborar para que ela se torne real. Quero que você tenha satisfação nessa vida e se possível, te ajudar a obtê-la com sucesso.

Feliz aniversário, Augusto! Cé meu Gustinho, cé meu amorzinho, cé meu outros apelidos breguinhas e eu adoraria estar te enchendo de beijinhos hoje e te mimando como gosto tanto de fazer. Hoje não foi possível, mas estamos trabalhando nisso :). Em breve, te prepara, estarei te abraçando muito forte.

Te amo!

Brasília, mais uma vez.

Quando embarquei para Brasília no dia 05 de setembro, aquela seria a última vez que eu veria o namorado antes da minha viagem para a Holanda. Dada a reviravolta, provavelmente terei outra oportunidade de ver o Augusto novamente.

Eu até levei minha câmera, mas por algum motivo (vou culpar o calor e a baixa umidade) não tirei muitas fotos. Nós praticamente só saímos durante a noite, quando a temperatura estava um pouco mais agradável e eu conseguia exercitar a minha existência.

É sempre bom demais ficar com o Augusto e, pra mim, o mais gostoso é quando fazemos coisinhas bobas, do dia a dia mesmo. Pra mim, um dos pontos altos foi quando demos banho na Sofia. Foi o primeiro banho caseiro da coitada, mas ela até que se saiu muito bem, se comportou como qualquer gato equilibrado se comportaria.

No sábado nós aproveitamos a cena rock brasiliense e fomos ao Porão do Rock. O Augusto tava preocupado que eu fosse achar a galera de lá feia, mas o público não foi diferente de qualquer evento do gênero em terras paulistanas. Como não fomos só pelo sightseeing, aproveitamos para vermos sentadinhos o Sepultura tocando músicas dos discos mais antigos da banda como Beneath the Remais, Arise, Chaos A.D e Roots. Eu não sou fã, mas tenho que reconhecer que foi bem difícil manter os pés paradinhos enquanto o show rolava.

O Augusto me contou que quando o PDR era de graça o evento lotava, tipo, muito. Mas esse ano pagamos 15 reais na entrada e eu me surpreendi ao ver que tinha bastante espaço para circular e curtir os shows. Fazia tempo que eu não gostava tanto de um festival hahaha. Foi lindo ir para a frente do palco pouco antes do show do Kyuss Lives começar e poder chegar lá na frente sem nenhum problema. E mais lindo ainda foi que não atrasou quase nada.

Ano passado vi o Kyuss Lives num Carioca Club relativamente cheio, mas extremamente confortável e esse ano também pude aproveitar o show ao máximo, tirando um filho da puta na área vip que não curtiu o show, conversou o tempo todo e mesmo assim conseguiu ficar parado exatamente entre o John Garcia e eu, que estava na grade:

O show foi tão bom que senti dor no pescoço por 2 dias hahaha

Para comparação e apreciação, dois vídeos dos dois shows do Kyuss Lives:

Novembro 2011

Setembro 2012

E como não encontrei nenhum vídeo do Kyuss no PDR numa qualidade bacana, fica aqui o show completo deles no PinkPop Festival desse ano:

Amor e preguiça em Brasília

Oi gente, tudo bom? Ah, comigo está tudo bem também, obrigada por se interessarem.

No começo de maio fui pra Brasília passar o feriado com o Augusto e quatro dias sempre é tempo pouco demais. Além de curtirmos uma preguicinha delicia típica de feriado, ele também me levou ao lago, à UNB e ao Itamaraty.

Eu esqueci de tirar fotos, mas achei a UNB super parecida com a USP e tive o mesmo sentimento quando estive na UFES. Arvores, grama boa pra dormir na sombra e prédios antigos. Não sei explicar, mas gosto do clima. Fomos até lá porque o Augusto tinha aula de física e eu fui junto. Apesar de ter passado parte do tempo jogando Freecell, gostei da aula mesmo não tendo muito background no tema de fluídos e trabalho, sei lá. Foi bem legal. De lá fomos para o lago e a vista era linda, o céu estava lindo e o fim de tarde foi bem legal.

Brasília é uma cidade bonita e aos poucos estou descobrindo suas belezas. Boa cidade.

Ah! E ainda tiramos uma foto de família com uma das nossas filhotas hahaha.

Amo você gustinho, vem logo. :~

Tenho tido o privilégio de viver dias incríveis ao lado da pessoa que amo. Na verdade, tenho tido o privilégio de vir tendo dias incríveis já há algum tempo.

Quando o Augusto está por perto, tudo fica melhor. É algo que eu sei que todo mundo sente – ou deveria sentir – quando está perto de quem te faz bem, e ele definitivamente me faz muito bem!

Namorar com alguém que na maior parte do tempo está tão longe não é tarefa fácil. Se no começo tinhamos que lidar com o mundo, agora, despois de quase 31 meses juntos, descobrimos que temos que lidar conosco mesmo.

Distancia, tempo, mal entendidos… tudo isso colaboram para que as coisas se compliquem, mas só ele e eu podemos trabalhar pra manter as coisas no eixo, o trem no trilho. A intenção é sempre a melhor, em tudo o que fazemos e quando o plano não é executado da maneira que desejamos, quem tem que correr atrás somos nós.

Sempre me considerei sortuda porque mesmo antes desses 31 meses de namoro, já me sentia como alguém que fazia parte da vida dele, da maneira que se faz diferença. E mais: sempre me considerei sortuda porque ele, desde que o conheci, sempre faz uma diferença enorme na minha vida, e o efeito sempre foi positivo.

Meus sentimentos estão por toda parte quando estou com ele, mas ao mesmo tempo me sinto completamente calma. Sim, ainda sofro momentos de extrema angustia e momentos de enorme ansiedade, sempre que ele se vai, e sempre que ele está de volta. Essas coisas só mudarão quando finalmente estivermos mais perto um do outro.

Enquanto na maioria do tempo estamos separados por 1000 quilometros, e apesar de na maioria do tempo minha mente e meu coração estarem sempre com ele, hoje é diferente. Hoje o tenho aqui, bem pertinho, a ponto de eu poder sentir seu cheiro, de eu poder alcançá-lo com as mãos, a ponto de podermos trocar olhares.

E hoje eu o desejo felicidade. Hoje todos os beijos serão diferentes porque hoje ele comemora seus 26 anos. E eu agradeço por ter podido fazer parte dos últimos 5 e pouquinho.

Te amo,

 

ptbr + spa + eng + ned = amor

Julian, o holandes, explicando pra mim, uma latina, as diferenças entre gostar, amar e estar se apaixonando. Em holandes é claro, em ptbr eu já manjo muito hahahaha.

[10:39] Mutiko: oi oi oi
[10:41] Handsome Devil: oi oi oi
[10:41] Mutiko: td bem?
[10:41] Handsome Devil: yep
[10:42] Handsome Devil: e vc?
[10:42] Mutiko: mais ou menos
[10:42] Mutiko: eu tenho dor de garganta
[10:43] Mutiko: mas comprei medicinas hoje, e agora eu vou estar melhor
[10:43] Mutiko: :P
[10:43] Handsome Devil: medicinas = remédios
[10:44] Mutiko: obrigado
[10:44] Mutiko: remédios
[10:44]Handsome Devil: faz tanto tempo que nao fico doente =D
[10:44] Mutiko: hahahaha
[10:44] Mutiko: pq eu estava enamorar :D
[10:45] Handsome Devil: heim?
[10:45] Mutiko: ah you’re talking about you
[10:45] Mutiko: hehehe
[10:45] Mutiko: thought you were talking about me
[10:45] Handsome Devil: lol
[10:45] Handsome Devil: yep
[10:46] Handsome Devil: i havent been sick for sooo long =D
[10:46] Handsome Devil: and what about you … what?
[10:46] Handsome Devil: enamorar?
[10:46] Mutiko: i meant I havent been sick because I was in love (its a joke)
[10:47] Handsome Devil: oooooh
[10:47] Handsome Devil: LOL
[10:47] Handsome Devil: yeah… but it didnt make much sense in portuguese hahahaha
[10:47] Mutiko: how would I say that in portuguese?
[10:48] Handsome Devil: “eu estava apaixonado”
[10:48] Mutiko: pq eu estava apaixondo
[10:48] Mutiko: hehhe
[10:48] Handsome Devil: enamorado = apaixonado
[10:49] Handsome Devil: yep
[10:49] Handsome Devil: and in dutch?
[10:50] Mutiko: depende, verliefd = being “in love” when you just met someone
[10:50] Mutiko: houden van = loving someone you know longer
[10:50] Mutiko: so in this case
[10:51] Mutiko: Ik ben al lang niet ziek geweest omdat ik verliefd was
[10:51] Mutiko: here we dont say we love someone, as soon as in a latin country
[10:51] Mutiko: :P
[10:51] Handsome Devil: hahaha
[10:53] Handsome Devil: entao seria como verliefd = gostar / houden van = amar? considerando que enquanto estamos conhecendo a outra pessoas, nós gostamos
[10:53] Handsome Devil: e dps que já conhecemos, nós amamos
[10:54] Mutiko: verliefd= e gostar com mariposas no estomago
[10:55] Handsome Devil: hahahahahah
[10:55] Mutiko: aqui tem: leuk vinden (liking someone) = gostar
[10:55] Handsome Devil: ok
[10:55] Mutiko: verliefd zijn: com mariposas no estomago
[10:55] Mutiko: houden van: amar
[10:56] Handsome Devil: verliefd = estar apaixonado
[10:56] Handsome Devil: ok
[10:56] Handsome Devil: consegui entender

Entendeu?

Um par de sapatos.

Een paar schoenen, 1886

Quando em Amsterdam, pude e fui visitar o Museu Van Gogh. Perdi horas naquele lugar. Pederia mais e mais horas, perderei mais e mais horas.

As naturezas-mortas de Van Gogh prendem a atenção e este quadro é simplesmente hipnotizante.

A. C. R. N.

Pensei, juro, em uma infinidade de músicas que poderiam embalar esse post, mas até o momento em que escrevo, não encontrei nenhuma que fosse ou publicável, ou que representasse tudo o que precisa representar.

Por enquanto esse post não é embalado e também não é como esse texto precisasse ser embalado numa canção que não possa ser mentalmente cantada, por mim e por você.

Te devo então uma canção e uma carta manuscrita. Mais a carta que a canção, é verdade.

Te devo palavras tão não publicáveis quanto as músicas que pensei para embalar este texto. É tudo pessoal demais e eu já não me lembro como é que se faz para se abrir assim completamente num lugar onde a gente sabe que as pessoas irão ler. Não serão muitas, mas ainda são pessoas que por mais histórias que leiam, conversas que ouçam, e saibam tudo sobre nós, enfim… As palavras são impublicáveis.

O que dá pra dizer, na realidade, aqui, nesse registro mal feito, é que eu te desejo muita felicidade e satisfação, eu desejo que você realize seus anseios e que a vida seja cheia de momentos eternos. Você não merece nada menos que isso.

Dessa vez, mais uma vez, estamos longe. Mas o agora não é pra sempre e o que temos, por enquanto, é o ainda. Ainda não estamos juntos. Ainda.

Te amo,

L

Les Chansons d’Amour e o google earth; ou como eu amo o google earth.

Há algum tempo terminei de assistir a trilogia do amor de Chistopher Honoré, composta por Dans Paris, Les Chansons d’Amour e La Belle Personne. Não é bem uma trilogia propriamente dita, mas como nos três filmes o diretor (e roteirista) procura explorar diferentes formas do amor, é então a trilogia do amor.

Posto isso, não será neste post que explorarei o conteúdo das obras e farei uma analise extensa e detalhada sobre os filmes. Não, este post tem outro motivo para estar aqui.

Todos os três filmes são ambientados em Paris e quando eu finalmente assisti ao Chasons d’Amour, eu já tinha visitado a cidade e me peguei tentando descobrir onde as personagens estavam. Alguns lugares foram fáceis de definir, mas teve um, justo onde era a locação do apartamento do Ismael, que eu não conseguia definir… (talvez por ser uma ruazinha d’entre as milhares de ruazinhas que Paris possui).

E então depois de alguns meses procurando a tal rua da locação (tá que não com muito afinco), eu finalmente, hoje, encontrei ! Eis que o apartamento do Ismael ficava na 50 Rue Fbg St Martin, 75010 Paris. (clica na imagem pra ver maior)

Pertinho da Gare du Nord e da Place de la République. Coincidentemente, também pertinho do hotel onde eu e a ficamos. No máximo 15 minutos a pé, 3 minutos de carro; 2 estações de metro.

Eu já planejava, faz um tempinho, procurar no google earth pelas lojas que eu via na fachada do apartamento. Mas sempre tive um pouco de preguiça. Hoje a preguiça não veio tão forte e eu resolvi colocar em prática meu poder de investigação. Deu certo! Olha aqui a “visão de rua” do google maps, pegando a locação exatamente de frente, como vemos bastante durante o filme.

Me sinto satisfeita.

E se você ainda não viu o filme, vale a pena… É sobre um rapaz, o Ismael, ele e sua namorada estão num triangulo amoroso com uma amiga de trabalho dele, mas daí algo acontece e tudo muda radicalmente. Se você já viu o trailer norte-americano, é provavel que fique chocado em como a premissa dele é distorcida ali, quando você assistir ao filme. De todo modo, o filme é bom e as canções são bem produzidas e gostosinhas.

O clipe abaixo é a primeira música do filme, pra dar te dar um gostinho pra ver o filme e pra você ver também o tão falado apartamento do Ismael.