Encontrando famílias e o match

Depois que você descobre o intercâmbio de au pair e descobre que pode ser uma, uma dúvida surge: como chegar até lá? Pois é, por mais idiota que essa pergunta pareça, respondê-la é uma das partes mais importantes de todo o processo.

Para ser au pair na Holanda você (ainda) pode seguir dois caminhos que dão no mesmo lugar: você pode ir “por conta” ou entrar para alguma agência. Ir por conta quer dizer que você fará todo o processo em busca da família sozinha. Ir por agência quer dizer que você terá alguém que te ajudará na missão de encontrar a família e em outras partes do processo. A Holanda já tem um projeto que regulamenta mais ainda esse tipo de intercâmbio e quando ele entrar em vigor, as au pairs só poderão ir para o país pelo meio de agências.

Ir sem agência pode também significar fazer alguma economia, já que as agências cobram taxas de participação e de placement, por mais que cada uma cobre e chame essas taxas de nomes diferentes.

Sites como o au pair world (APW) e o great au pair (GAP) são velhos conhecidos das meninas que escolhem ir sem agência. Neles a futura au pair cria um perfil, responde as perguntas do formulário, coloca fotos bonitas e torce os dedos. Mentira, depois que o seu perfil já está prontinho para ser encontrado, outra parte começa: você sai procurando por famílias. No APW eles te sugerem algumas famílias compatíveis, mas você pode entrar na parte de procurar por famílias. Lá é interessante você colocar que você é da Holanda e que está procurando por uma família da Holanda. Não é magia não, mas o número de famílias disponíveis que aparecem é muito maior. Isso acontece, porque as famílias (e as au pairs também, só que ao contrário) podem escolher as localidades de onde querem que as au pairs venham (ou seja, a au pair precisa preencher pra onde quer ir), mas na verdade muitas famílias são flexíveis e estão dispostas a conhecer uma garota brasileira, mesmo que em seu perfis elas digam que preferem garotas neozelandesas e/ou panamenhas. Encontradas famílias que te interessem você pode enviar mensagens e dar início a conversas. Eu nunca usei o GAP, mas pelo o que já conversei com outras meninas, o processo para encontrar famílias é bem parecido.

Ir com agência pode também significar economizar energia e tempo, já que depois de preenchido o formulário (app) das agências e fazer algumas entrevistas, as futuras au pairs não precisam se preocupar em procurar manualmente por uma família.

Duas agências holandesas são bastante recomendadas por au pairs que já estão lá ou que já voltaram para o Brasil. São elas: HBN (Huisje Boompje Nanny) e House Of Orange (House Brazil ou só House mesmo). Ambas agências são agências online aqui no Brasil, isso quer dizer que suas sedes ficam lá na Holanda, mas que possuem algumas agentes espalhadas pelo nosso país e que realizam todo o processo via e-mail, skype e também correio. Depois de feito o teste de inglês e de preenchido e entregues os formulários, algumas entrevistas são feitas e a futura au pair pode “descansar” porque a agência começará o seu trabalho. As agências analisam tanto o app quanto a entrevista feita com a garota e cruza com as análises feitas dos apps e entrevistas das famílias. Quando os gostos e estilos de vida são parecidos e os objetivos combinam, a agência informa a família e a aspirante a au pair e surgindo o interesse, um contato direto entre as duas pontas é combinado.

O grande objetivo da busca pela família é que aconteça um “match”, ou seja, quando futura au pair e família se entendem bem, o convite é feito: ‘será que a garota gostaria de passar seu ano na Holanda com eles?’. Aceito o convite, o match foi feito! Agora é só fazer as malas e correr pro abraço!

Pareceu fácil, né? Mas não é tão fácil assim. Não né? Não poderia ser. E não é simples porque durante as conversas com as famílias, principalmente por skype, a gente pode travar. Triste, né? Mas lembre-se: essas conversas são na verdade uma entrevista mútua, você precisa perguntar tudo o que precisa saber sobre como a família é e como será quando você estiver lá. A mesma coisa acontece com eles, eles querem saber mais sobre você e descobrir se você pode dar a eles o que eles esperam.

O mais importante, principalmente na hora do skype (ou num telefonema mesmo), é que você não se intimide com a família. Mantenha a calma e tudo irá bem. Esse conselho não quer dizer que eu espere que você não vá ficar nervosa, mas controle esse sentimento e você vai se dar bem.

Quando eu digo para não deixar a família te intimidar é apenas para que você tenha confiança e segurança em si mesma. Não importa que o inglês deles é mais claro que o seu, ou pior, não deixe passar algumas falas deles porque você não entendeu muito bem o que eles disseram e tem vergonha de pedir pra repetir. Tudo nessas conversas precisa ficar claro, então se precisar, pergunte sim para que eles repitam, até você entender direitinho. E não se incomode se eles pedirem para que você também repita o que está dizendo.

Por mais que as agências enviem um pequeno dossiê sobre as famílias e que muitas famílias do APW e do GAP já coloquem o que eles esperam da au pair em seus perfis, é importante que você esclareça tudo. Pergunte quantas crianças são, como é o temperamento de cada uma delas (ou no singular, caso seja só uma kid), quais são os horários das crianças, como elas lidam com a rotina, do que elas gostam de brincar, se elas gostam de estudar, se elas tem horários específicos para ver televisão, como elas são para comer, se elas são independentes. Pergunte quais serão suas horas de trabalho (lembrando que na Holanda a au pair trabalha 30 horas por semana distribuídas por no máximo 5 dias, além de fazer babysitting por no máximo 3 vezes por semana também), quais serão os seus dias livres, quais funções você terá que realizar, que tipo de trabalho você terá que fazer na casa (é importante esclarecer o que é o light housework para eles), se você terá curfew… é legal também se informar sobre a casa, onde ela fica na cidade, se é no subúrbio ou se é central, se a cidade é grande, se tem opções de lazer e entretenimento, em qual região do país ela fica (se é longe e quanto tempo demora para chegar em Amsterdã).

Outras dúvidas certamente surgirão e é importante sempre perguntar conforme elas vão surgindo. Também é muito importante ser sincera nas suas respostas, dizer o que você acha que vai agradar só para conseguir logo uma família e embarcar para a Holanda pode ser um grande erro. O match vai acontecer quando as duas partes se entenderem baseadas em verdades e assim o programa está mais inclinado a ser um sucesso.

Algumas famílias, independentemente se você está indo com ou sem agência, pedem para que a au pair ajude com os gastos referentes à passagem, mas isso nem sempre acontece. Então é possível que você vá para a Holanda sem gastar nada (sem pagar agência e sem pagar passagem) e também é possível que você pague a agência e acabe tendo que pagar parte da passagem. Isso tudo depende não só da família, mas também do que a au pair está disposta a aceitar e custear.

Boa sorte!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s