A weedy.

Resolvi escrever sobre a mala sem alça que divide a cama comigo.

Quer dizer, resolvi escrever sobre minha gata, a Weedy.

É estranho de pensar que estou com ela há tanto tempo. Em janeiro ela completou 7 anos, se não me engano. Ela está comigo desde o começo de 2005 e eu resolvi que ela nasceu dia 21 de janeiro daquele ano, porque quando ela chegou aqui ela tinha cerca de 1 mês.

É uma pena que não tenho muitas fotos dela novinha, mas garanto que ela era uma fofura sem tamanho! Ela chegou no momento exato, e eu digo chegou porque ela apareceu pouco mais de 3 meses depois que minha primeira gata, a Mú, havia sido morta por pessoas más. Enfim! Numa tarde tranquila tocaram minha campainha para avisar que havia um filhotinho de gato debaixo do carro estacionado aqui na garagem de casa. Desde então somos melhores amigas!

Mentira!

A weedy cresceu, castrou, fez xixi em mim dopada, engordou e nunca gostou de colo. Isso não é tão ruim pra mim, porque também não sou muito pegajosa, mas acontece que eu não resisto à sua gordice e às vezes acabo encarnando a Felicia e daí já era. Gritos, arranhões e muito drama – da parte dela, é claro, eu já estou acostumada às unhadas.

O que eu acho mais fofo nela, no entanto é o jeitinho como ela fica entendiada facilmente, e também como ela tem pequenos ataques de loucura e quica no sofá. Acho que todo mundo que tem gatos pensa assim, mas a gorducha é apaixonante. Não importa se estou no quarto dos meus pais, na sala ou no meu quarto, passa alguns minutos e lá está ela, parada olhando pra mim. E se eu ignorá-la (ou fingir ignorá-la) o suficiente ela vem, e deita do meu lado.

Acontece que se você tentar ativamente acariciá-la ou falar com ela, ela ou vai embora, ou grita com você. É preciso respeitar o espaço dela, para que ela se sinta confortável para uma troca gostosa de carinho. nhonho!

E eu não preciso de festa, nem de lambidas malucas, só a companhia dela ou então o peso dela nos meus pés enquanto durmo, só isso já me faz muito bem.

Desde que a Weedy chegou, vários gatos já passaram por aqui. O Bartolomeu, a Milka, os quatro filhotes da Milka… e ela continua aqui, firme e forte. Ela ainda está aqui, gordinha, mal humorada e companheira.

Um beijo pra você Weedy, você é muito fofa!

Posso compartilhar só mais algumas fotos dela? Posso, ok, obrigada!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s