Pelo Cinezine, no Rodaviva com Wagner Moura.

Wagner Moura e eu ali, estragando a foto bacana.

Fui indicada, pelo Tiago Machado para participar do programa Roda Viva da TV Cultura. O convidado seria o Olavo, digo, o Wagner Moura e minha função seria apenas atualizar o twitter do site Cinezine.

Voltei pra casa ontem no fim da tarde, tive tempo para escolher a roupa que usaria e deixar meu cabelo bonito. As 20:30 – pontualmente – o carro da emissora estava em minha porta (acho tão chique quando carros de produções me buscam em casa hahaha). Pegamos a Salim (vocês não andam um quilometro em são paulo sem passar por uma rua ou avenida que nao tenha o dedo do maluf – RISOS) e a Marginal sem transito algum e umas novê-pouco já estava lá.

Aproveito este pequeno parágrafo apenas para dizer que a Fundação Padre José Anchieta humilha a minha Fundação Cásper Líbero. O lugar é enorme, cheio de árvores e lixeiras de coleta seletiva. Nada como o nosso prédio de esqueleto externo que tem 4 vasos de plantas. Muito verde na Cultura e ali na Cásper tudo é num cinza muito sem graça.

Cheguei e fiquei na minha, vocês sabem como eu sou tímida. Então o Fugita (que já tava atualizando o twitter dele loucamente) veio e se apresentou. Logo depois identificamos a Veronica e fomos chamados para a maquiagem.  Quando voltamos Wagner Moura já estava lá, rodeado de pessoas que falavam muito e ele apenas concordava.

@vmambrini, @fugita e @cinezine

@vmambrini, @fugita e @cinezine

Fomos levados para o estúdio e lá ligamos os computadores, nos acomodamos nas cadeiras e checamos nossa conecção. Todo mundo pronto: o programa ia entrar no ar. Na verdade, o programa entraria no ar mesmo que nao estivessemos prontos, né huahua.

Pra mim, que passo praticamente o dia inteiro online e no meu twitter, atualizar dali do programa foi uma experiência completamente nova. Estar ali ao vivo dando minhas impressões sobre o que as pessoas também estavam vendo, só que de casa, e lendo o retorno delas faz a ferramenta ficar ainda mais interativa. Acho até que assistir o programa assim, acompanhando pelo twitter de quem está lá ao vivo é também uma experiência bem diferente do que assistir passivamente.

Wagner Moura na arena

Dali de cima é possivel ver tudo. Os três câmeras, todos os jornalistas e toda a produção do lado de fora do cenário, que é maior do que eu imaginava. Era muito bom ver o Capitão Nascimento, digo, Wagner Moura girando de uma lado pro outro pra olhar a pessoa que perguntava. Se bem que é interessante e preciso apontar que a Mônica Bergamo era praticamente a única que perguntava, não porque os outros não tinham o que perguntar, mas sim porque ela não conseguia se controlar.  Ainda nesse tema, era delicioso ver a cara da Nina Lemos ouvindo o que o ator tinha pra dizer, às vezes ela inclinava a cabeça pra direita e abria a boca de um jeito eu poderia jurar que ela não tava compreendendo porra nenhuma, mas tentando entender do que é que aquele homem estava falando. E então ela baixava a cabeça escrevia alguma coisa, rabiscava outra e então partia para a batalha que era tentar fazer uma pergunta antes que a Mônica Bergamo fizesse outra.

Quando a Lilian Witte Fibe falou meu nome pela primeira vez eu quase morri no ar. Eu tinha certeza que eu seria a última a ser anunciada e estava tranquila e então a ouvi dizendo meu nome e olhei para uma das televisões que existem no estúdio e vi a minha cara ali na tela e então pronto: Morri de vergonha. Eu também estava online no msn e meu irmão vinha a cada intervalo dar as impressões que minha família estava tendo enquanto acompanhava o programa. “O pai tá falando pra você tirar a mão do queixo”. Passei o resto do programa tentando evitar a minha tão costumeira mão no queixo de quando estou no computador.

Depois de uma hora e meia praticamente o programa chegou ao fim. Juro pra vocês que não vi a hora passar, foram 64 atualizações pelo @cinezine e mais algumas pelo @lariica. Foi muito gostoso meeesmo atualizar o twitter de lá, até porque o @tiagomx, a @jussaraleite e a @marianacosta acompanharam firmes e fortes toda a corbertura, do início ao fim.

Fica aqui então meu agradecimento ao Tiago, que me colocou pra dentro desse esquema bacana, à Isabel lá da Cultura que foi super atenciosa o tempo todo, mas que eu quase não vi lá. Ao Fugita e à Veronica que estavam lá ao vivo fazendo o mesmo que eu. E claro, ao Wagner Moura por ser esse bom ator que é, além de ator bom, apesar de um pouco magrinho agora. hahahaha.

Mãozinha na cintura.

Mãozinha na cintura.

Anúncios

8 comentários sobre “Pelo Cinezine, no Rodaviva com Wagner Moura.

  1. pablo disse:

    oi fofa,
    vc estava linda na tv….
    e a entrevista foi bem legal, tirando a parte que só queríam saber do dinheiro do cara. 20 minutos querendo saber quanto custa, quanto ganha, “dá pra viver”, etc… rs
    beijos!!!!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s